Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Saramagueando: olhar, ver, reparar...

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."

Saramagueando: olhar, ver, reparar...

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."

Os meus sinais de pontuação

BibCamilo, 16.10.21

 

vírgula.png

 

Carlos Reis: O que torna a sua pontuação surpreendente é que ela continua a existir, só que é diferente daquilo que convencionalmente se esperaria.

José Saramago: Aí direi que os meus sinais de pontuação, quer dizer, a vírgula e o ponto final [...] não são sinais de pontuação. São sinais de pausa, no sentido musical, quer dizer: aqui o leitor faz uma pausa breve, aqui faz uma pausa mais longa. Quando aconteceu algumas pessoas dizerem que não entendiam nada, a minha única resposta, nessa altura, já há muitos anos - em 1980, quando o Levantado do Chão saiu -, foi: leiam uma página ou duas em voz alta. E depois acontecia as pessoas dizerem: "Já percebi o que é que tu queres". É fácil. O leitor há-de ouvir, dentro da sua cabeça (o leitor não tem que andar lá em casa a chatear a família lendo o Memorial do Convento ou O Evangelho Segundo Jesus Cristo em voz alta), a voz que "fala". Tal como eu, quando estou a escrever, necessito estar a ouvir na minha cabeça a voz que "fala". É por isso que começar um livro é para mim tão complicado; porque, enquanto eu não sentir que aquele senhor já está a "falar", que não está simplesmente a escrever o livro, eu posso empurrá-lo e fazer avançar, mas mais cedo ou mais tarde tenho que parar porque tenho que reconsiderar tudo aquilo que fiz.

Reis, Carlos (1998). Diálogos com Saramago. Lisboa: Caminho, pp. 101-102

 

Licença Creative Commons
Trabalho licenciado com uma Licença Creative Commons